Quem Somos?

O Consolador – Casa dos Amarelinhos é uma Organização Não-Governamental da sociedade civil, de utilidade pública Federal, Estadual e Municipal, sem fins lucrativos, com sede Maceió (AL), desde 1941. Suas ações são pautadas no cumprimento da Política Nacional dos Direitos Humanos, no que se refere à promoção e defesa dos direitos da criança e do adolescente, em consonância com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Devidamente registrado nos Conselhos Municipais de Assistência Social, da Criança e do Adolescente, O Consolador executa ações que buscam alcançar diversas áreas sociais através da atuação de uma equipe formada por educadores, coordenadores e de apoio administrativo e serviços. Os voluntários também podem ajudar à equipe durante a realização das estratégias sistêmicas e multidisciplinares.

O foco institucional é a criança, o adolescente e o jovem em situação de risco, com renda familiar per capta considerada abaixo da linha de pobreza, inclusive pessoas com deficiência. As ações envolvem proteção e educação de qualidade, com ênfase nos direitos preconizados pelo ECA; também enfatiza o desenvolvimento dos conhecimentos, fazeres, valores e habilidades exigidas na vida cotidiana privada e pública, com atividades de apoio escolar (oficinas de alfabetização, leitura, escrita e lógico-matemática, educação ambiental), culturais, esportivas, qualificações e formações profissionais, protagonismos juvenis e de inclusão digital.

Ao logo da história, O Consolador já colaborou com a formação de mais de 30 mil pessoas. A Casa foi criada pelo casal Pedrosa e Elizalva no intuito de proporcionar um ambiente de amor e cidadania; atrelada ao esporte, educação e qualificação profissional.

Os  ‘Amarelinhos’, como são conhecidos, frequentam à Ong em horários contrários ao da escola. Eles participam de atividades lúdicas e pedagógicas que visam o progresso no rendimento escolar. As aulas acontecem sempre na Casa dos Amarelinhos, situada na avenida Amazonas, 425, bairro Prado; onde participam de oficina de música, leitura, informática e reforço em português e matemática – tudo baseado na Pedagogia Popular.

Em 1997, após o falecimento do casal fundador, uma das crianças acolhidas quando tinha dois anos de idade passou a ser a cuidadora da casa. Desde então, Ana Gomes tem tentado criar uma rede de ações, através de parceiros públicos e privados, que sonham com um futuro melhor e a esperança que cada vez mais, crianças e jovens sejam atendidos pela organização, tendo suas realidades modificadas de forma positiva.

Missão - Promover ações que oportunizem o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens em situação de risco, tendo como meta o trabalho sócio-educativo, a erradicação do trabalho infantil, a integração com a família e a comunidade, mobilizando-os para a possibilidade do desenvolvimento sustentável.

Visão - O princípio é amor ao próximo, as crianças e ao meio. Por ele buscamos o desenvolvimento humano correlacionando múltiplas aprendizagens, respeitando as diversidades, oportunizando o brincar e construindo afetos. A relação é de troca e dinâmica, ao mesmo tempo, que ensinamos aprendemos com eles.

“Compreender a realidade dos meninos, olhar não só para o que eles não sabem o que não tem ou apenas o que dizem, mas sim olhar para o que eles sabem, suas experiências, histórias e vivências e ver o grande potencial que trazem consigo, foi o ponta pé inicial para irmos traçando os objetivos e as estratégias que norteiam o dia a dia do Consolador. Com esse olhar, nosso menino agora é um cidadão”. (Tia Ana)

Newsletter

Depoimentos

Tenho dois filhos no projeto Tri-Criança e desde que eles ingressaram no O Consolador muita coisa mudou. O comportamento deles ficou melhor e eles tem se desenvolvido para o...

Elba Márcia da Cruz – dona de casa – Pilar