Evento uniu de forma lúdica as modalidades do Jiu-jítsu e Capoeira

A 2ª edição do Festival de Lutas do projeto Esporte que Transforma, realizado durante toda esta sexta-feira (24), no Prado, em Maceió, contou com a presença de mais de 200 participantes. O evento uniu as modalidades do Jiu-jítsu e Capoeira. De uma forma lúdica os alunos foram iniciados no mundo das lutas e tiveram ainda a oportunidade de ouvir as experiências de quem já pratica alguma dessas modalidades.

O Festival contou com participantes dos polos de Maceió e do Pilar. Além destes, também estiveram presente alunos das escolas vizinhas ao Projeto. A festa em celebração as modalidades de Luta só tornou-se completa com os praticantes que vieram das academias de artes marciais da capital e do município de Messias. Integrantes de diferentes grupos de capoeira se uniram na oficina do esporte.

O evento foi dividido em atividades coletivas das duas modalidades de lutas desenvolvidas no Projeto: Capoeira e Jiu-jítsu. A coordenação organizou o Festival em um momento de bate-papo para as trocas de experiência entre alunos e atletas, dinâmica em grupo e oficinas em sistema de rodízio que duravam 20 minutos nas duas modalidades.

A união das modalidades e o sistema de rodizio conseguiram abrir a mente dos alunos para as modalidades de luta. “Gostei de poder liberar e expressar a arte do Jiu-jítsu. Gostei bastante. Tive contato com a capoeira também, nunca tinha participado por conta da minha religião, entendi um pouco mais dessa modalidade na palestra, gostei”, comentou a aluna, Rayssa Vitória.

Para o aluno de natação, Thiago Araujo, o Festival foi um momento importante para entender um pouco mais dos princípios da luta. Thiago ficou encantado. “Estou achando muito legal até porque as Artes Marciais trazem muito benefícios para o corpo e para a mente, como a disciplina e também a resistência física”, disse.

Segundo o coordenador do Projeto, Sávio Morais, o Festival, que contou com a presença dos pais, terá um papel fundamental na quebra do mito que a luta incentiva brigas ou torna os filhos violentos. “Estamos mostrando que as modalidades de luta trazem respeito com os professores, com os colegas e consequentemente em casa”.

O Festival foi organizado pelos professores do Projeto e contou com a ajuda na execução de alguns alunos de Jiu-jítsu. Esse auxilio deixou o professor Clênio Oliveira bastante satisfeito. “ Eles têm demostrado disciplina e respeito aos ensinamentos do Jiu-jítsu. Estou vendo o crescimento deles enquanto alunos, alguns inclusive estão participando da organização do Festival”, relatou.

As lutas estão presentes nas seis cidades onde o projeto Esporte que Transforma atua. Em Maceió, Pilar e São Miguel o Jiu-jítsu é uma modalidade fixa, já a Capoeira percorre todas as cidades em sistema de rodízio. O Projeto se prepara agora para mais um passeio ciclístico “Vou de Bike”, em Maceió, que acontecerá no próximo dia 8.