Vivenciando o Frisbee

//Vivenciando o Frisbee

Aldenio Junio – Professor do “Esporte que Transforma” em Pilar – AL

Descrição do jogo: No primeiro momento foram divididos em grupos, com o objetivo de que trocassem passes segundo suas experiências motoras propiciando um contato inicial com o frisbee (tipos de passes) e, em um segundo correspondeu ao jogo adaptado. Dentro de um campo de jogo (previamente demarcado com cones) duas equipes formadas por sete componentes cada (número pode ser adaptado conforme a necessidade) se enfrentaram trocando passes com o frisbee. O jogo se iniciava com as equipes posicionadas ao fundo, após a autorização da equipe sem a posse do frisbee, a equipe em posse do frisbee o lançava. A equipe pontuava sempre que um componente conseguisse recepcionar o frisbee dentro da zona de pontuação da equipe oponente, zonas estas que ficavam ao fundo das duas quadras. Uma vez em posse do frisbee o aluno não podia se deslocar, ele procurava uma linha de passe com outro componente de sua equipe. O marcador da equipe adversária fazia a contagem de dez segundos e tinha que executar o passe dentro desse tempo, caso contrário sua equipe perderia a posse do frisbee, sua equipe também perdia a posse sempre que derrubava o frisbee.

Descrição da Aula:  Inicialmente em uma roda de conversa foi demonstrado de forma prática às diretrizes da atividade, bem como, as regras básicas e curiosidades sobre o ultimate frisbee, dando  ênfase ao fato de que a modalidade é uma das poucas que não possuem árbitros. Círculos foram formados com o objetivo de que eles trocassem passes entre si com o momento inicial reservado ao primeiro contato, tivemos algumas peculiaridades quanto as formas de lançamento empregadas pelos alunos. Em seguida o professor realizou uma intervenção onde os alunos foram instruídos sobre a técnica de lançamento dando ênfase ao lançamento backhand. O segundo momento correspondeu a realização do jogo adaptado. Em que os alunos foram divididos em dois grupos com sete alunos em cada equipe, entretanto, no decorrer da partida o número foi reduzido para cinco componentes por conta das dimensões da quadra. No decorrer da atividade algumas intervenções foram realizadas para avaliar o entendimento dos alunos sobre o jogo, bem como, elucidar algumas dúvidas sobre o jogo. Houve de início um choque com relação a não existência de um árbitro, mas com diálogo e intermédio do professor essa questão foi rapidamente contornada. Outra dificuldade notada foi de se manter parado após recepcionar o frisbee, com algumas explicações que utilizaram como referência o pé de pivô do basquete como exemplo.

Pessoas:Foram divididos em dois grupos de 7 alunos (número pode variar conforme seja necessário).

Recursos: Adaptar os materiais utilizando tampas de baldes, pratos plásticos de circunferências diferentes. Demarcação do campo pode ser com cordas ou garrafas pet para a demarcação dos espaços.

Organização Regras: Regras oficiais da modalidade modificadas em consenso com os alunos com intermédio do professor.

Tempo: Estipular um aumento do tempo que o aluno tem para executar o passe. tal ação torna o jogo mais lento possibilitando uma maior assimilação da técnica.

Espaço: Organizar o espaço do jogo de acordo com a faixa etária ou limitações espaciais existentes (tamanho da quadra).

Gesto: Possibilitar novas vivências motoras presentes na modalidade, bem como estimular o trabalho em equipe.

Estruturar funções: Alunos que estão fora anotam o placar e o tempo de duração do jogo.

2019-03-21T00:12:15+00:00março 20th, 2019|Sem categoria|0 Comments

Leave A Comment